WhatsApp exige autenticação biométrica para web e desktop e acesso

O WhatsApp agora está exigindo confirmação de ID biométrica ao executar a plataforma de mensagens no desktop ou na web. A empresa de propriedade do Facebook introduziu recentemente uma camada adicional de proteção para conter a invasão de contas.

A partir de agora, os usuários que efetuam login no WhatsApp na web, desktop ou portal devem passar pela autenticação do sistema do seu dispositivo antes de escanear o código QR para acesso. A verificação é feita inteiramente pelo sistema operacional do seu dispositivo, usando sua biometria armazenada.

No entanto, o WhatsApp não pode acessar essas informações privadas. Pode, no entanto, forçar as pessoas a cumprir: O novo recurso está ativo por padrão, de acordo com o Engadget. A única maneira de evitar o acionamento é desligar completamente o desbloqueio facial ou digital em seu aparelho.

E embora o WhatsApp não solicite mais nenhuma confirmação dos usuários com o recurso desativado, ele recomenda que “se você tiver um dispositivo com autenticação biométrica, configure-o para proteção adicional”, disse um porta-voz da empresa.

WhatsApp exige autenticação biométrica para web e desktop e acesso

O serviço de bate-papo foi atacado recentemente quando publicou uma nova política de privacidade, prevista para entrar em vigor em 8 de fevereiro, que inclui novas opções para as pessoas enviarem mensagens de negócios no WhatsApp e fornece mais transparência sobre como a plataforma coleta e usa dados.

Mais tarde, a companhia voltou atrás nessa decisão antes de interromper temporariamente a atualização, o que fez com que as pessoas fugissem para rivais de aplicativos de mensagens. Um representante assegurou que ninguém terá sua conta suspensa ou excluída no próximo mês; em vez disso, o WhatsApp exige que todos os usuários aceitem os novos termos.

WhatsApp posterga aplicação de novas regras de privacidade

Com toda a confusão criada a partir da declaração das novas regras, o WhatsApp comunicou que as novas medidas serão adiadas para o mês de maio. Isso porque o aplicativo frisou que fez uma “parceria” com o Facebook, mas não especificou o que mudaria realmente para o seu usuário. Por isso, milhares de pessoas acabaram por migrar para outros aplicativos de mensagens.

Autor:

O que você achou deste artigo?