TikTok pode estar negociando com a Oracle nos Estados Unidos

A empresa de tecnologia Oracle entrou na corrida para adquirir as operações da TikTok na América do Norte, informou o Financial Times. A empresa de Larry Ellison manteve conversas preliminares com o proprietário chinês ByteDance e está “considerando seriamente” comprar o negócio do aplicativo nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

A Oracle pode ter alguma concorrência da Microsoft, que no início deste mês confirmou que se reuniu com a ByteDance sobre uma possível compra. Embora ainda nos estágios preliminares, quaisquer negociações devem ser concluídas antes de 15 de setembro, ou o TikTok será proibido nos Estados Unidos, disse Donald Trump.

O presidente assinou recentemente duas ordens executivas proibindo as empresas de fazer negócios com a ByteDance e a Tencent, proprietária do serviço de mensagens WeChat. Uma semana depois, a equipe Trump se juntou à rede social rival de compartilhamento de vídeo Triller.

O co-fundador e CTO da Oracle, Ellison – a quinta pessoa mais rica do mundo – é uma das poucas pessoas no Vale do Silício a apoiar abertamente Trump, segundo Financial Times. Em fevereiro, Ellison, de 76 anos, realizou uma arrecadação de fundos para o presidente em exercício em sua propriedade na Califórnia.

TikTok pode estar negociando com a Oracle nos Estados Unidos

Qualquer negócio para comprar parte do TikTok seria complicado, para dizer o mínimo, exigindo a separação da tecnologia de back-end do ByteDance. Uma proibição nacional, entretanto, não impediria os fãs de acessar o programa popular por meio de uma VPN.

Polêmica envolvendo TikTok nos EUA deve se alongar

Recentemente, o secretário de Estado Mike Pompeo disse à Fox News que o governo dos EUA estava tentando proibir certos aplicativos de mídia social oferecidos por empresas chinesas, incluindo o TikTok. A preocupação é que a China use essas plataformas populares para espionar usuários internacionais. Os EUA ainda não ofereceram nenhuma prova de que isso aconteça

Agora, a TikTok está “definindo o que está acontecerá”, abordando rumores e desinformação por meio de um novo centro de informações e conta no Twitter.

“Estamos dando mais um passo para continuar a construir confiança com nossa comunidade TikTok, apresentando os fatos – em nossas próprias palavras e nas palavras dos principais especialistas em segurança cibernética, mídia e academia. Porque não apoiamos nem defendemos a disseminação de desinformação em nossa plataforma ou sobre nossa plataforma”, declarou um representante da plataforma de vídeos.

Autor:

O que você achou deste artigo?