Redes sociais: Americanos aprovariam banimento por questão de privacidade

O mundo online está em meio a uma crise de privacidade. As empresas rastreiam os usuários para atendê-los com anúncios personalizados, mas as pessoas estão cansadas dessa atividade. No ano passado, uma em cada cinco pessoas excluiu um aplicativo ou redes sociais por questões de privacidade.

Agora, é uma crença generalizada que as empresas estão espionando suas conversas privadas. De acordo com uma pesquisa recente conduzida pela WhistleOut, 85% dos entrevistados acreditam que pelo menos uma empresa de tecnologia está espionando eles. No topo da lista estão o Facebook (68%) e o TikTok (53%), que muitos acreditam estarem violando as leis de privacidade.

A TikTok, especialmente, viu uma recente onda de ódio por uma empresa chinesa de posse de dados de usuários americanos. O Instagram teve 43% dos entrevistados nomeando o aplicativo como uma preocupação, então sua associação com o Facebook não está ajudando a fazer os usuários se sentirem mais seguros.

Outras grandes empresas de tecnologia, incluindo Google (45%) e Amazon (38%), estavam entre as que estavam no topo da lista. Enquanto isso, os esforços da Apple para proteger os dados do usuário parecem ter gerado alguma boa vontade entre os entrevistados – ela caiu até agora na lista.

Destinos das informações colhidas nas redes sociais

Muitos acreditam que isso vai além do simples rastreamento de anúncios. O esmagador número de 80% dos entrevistados acredita que essas empresas de redes sociais estão realmente ouvindo suas conversas telefônicas.

Mais uma vez, Facebook (55%) e TikTok (40%) tiveram uma classificação mais elevada do que as empresas com assistentes de voz incorporados, como Google, Amazon e Apple. Isso mostra mais como as pessoas não confiáveis ​​acham o Facebook e o TikTok do que a confiança que elas têm na Alexa, na Siri e no Google Assistente.

Redes sociais: Americanos aprovariam banimento por questão de privacidade
Foto: Divulgação TikTok

Apesar dos entrevistados acreditarem que essas empresas os estão espionando, 57% nem têm certeza do que as empresas estão fazendo com as informações que estão coletando.

Enquanto apenas 24% acreditam que essas empresas espionam a fim de adaptar seus anúncios e conteúdo aos usuários, dois terços dos participantes afirmam que viram ou ouviram um anúncio ou um produto específico em um aplicativo ou site de uma grande empresa de tecnologia depois de apenas falarem sobre isso produto, mas nunca pesquisando por esse produto online.

Atitudes dos usuários para proteger privacidade

Quando questionados sobre o que planejam fazer para proteger sua privacidade desses aplicativos, 40% dos participantes indicaram que excluíram ou pararam de usar o TikTok. Outros 18% disseram que abandonaram o aplicativo do Facebook devido a questões de privacidade.

Embora o TikTok continue a combater uma proibição iminente do governo dos EUA, 57% dos entrevistados achavam que pelo menos uma grande empresa de tecnologia deveria ser banida por violar a privacidade do usuário.

O que você achou deste artigo?