Facebook fecha acordo para portabilidade de dados

Nesta quinta-feira, 3, o Facebook anunciou que os seus usuários podem encaminhar imagens e vídeos guardados em seus servidores para duas novas plataformas de tecnologia.

Essa foi a ação mais recente para tratar de questões de antitruste, concedendo as pessoas a alternativa para deixar os seus serviços.

Os novos parceiros do Facebook são companhias de armazenamento em nuvem Dropbox e Koofr, uma startup da Europa. A organização de mídia social divulgou um acerto parecido com o Google Photos, de propriedade da Alphabet, no mês de abril.

A função que oportuniza esse repasse recebe o nome de portabilidade de dados e oferece mais controle com relação aos seus dados.

Além disso, essa medida permite que o Facebook mostre mais uma posicionamento aos órgãos reguladores e políticos dos Estados Unidos.

Isso porque a empresa está passando por uma investigação de suas práticas competitivas, uma vez que há indicações de que a companhia de Mark Zuckerberg está atacando os seus concorrentes.

A resolução da empresa se sucede antes de uma audiência promovida pelo Federal Trade Commission (FTC) em 22 de setembro a fim de avaliar as vantagens e desafios potenciais da portabilidade de dados.

Esse controle que afeta a concorrência se transformou em um tema crítico no discussão antitruste nos Estados Unidos e nos países da Europa.

Facebook fecha acordo para portabilidade de dados
Foto: Visual Hunt

No começo do mês, o Facebook encaminho declarações a entidade nos quais exigiu uma legislação de portabilidade de dados.

“Empreendimentos de menor expressão do setor de tecnologia estão mais favoráveis a efetuar esse trabalho conjunto com o Facebook assim que as leis sobre a portabilidade de dados se tornarem mais claras”, declarou Bijan Madhani, o gerente de Privacidade e Políticas Públicas do Facebook, à Reuters.

Fluência mundial do Facebook

Vale salientar que o grupo que comanda o Facebook também controla a rede social Instagram e o aplicativo de mensagens instantâneas, WhatsApp. Ainda assim, o conglomerado de mídia conta com cerca de três bilhões de usuários.

De acordo com o relatório de receita do primeiro trimestre do ano, o grupo teve receita de US$ 17,74 bilhões e lucro líquido de US$ 4,9 bilhões.

O que você achou deste artigo?