Evento do Sebrae aponta vantagens do Pix para pequenos e micro negócios

O uso do novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, o Pix gera dúvidas em muitos donos de pequenos e micro negócios. Em funcionamento pleno desde o dia 16 de novembro, o sistema pode facilitar consideravelmente a rotina dos empreendedores em todo o país.

Para tirar as dúvidas mais frequentes, o Sebrae realizou um debate sobre o assunto durante a 7ª Semana Nacional da Educação Financeira, com o painel virtual “Pix – receba os pagamentos em segundos e melhore seu fluxo de caixa”.

A conversa apontou as vantagens da utilização da solução pelos donos de negócios, especialmente, no que se trata dos impactos na administração financeira das empresas já que o serviço oportunizará o recebimento e transferências de maneira rápida, 24 horas por dia, todos os dias da semana.

De acordo com a analista do Sebrae e moderadora do painel, Cristina Araújo, a ampliação do acesso da digitalização dos serviços bancários pelos brasileiros demanda cada vez mais atenção dos empresários na gestão das micro e pequenas empresas.

Sendo assim, o Pix será positivo no dia a dia do pequeno empresário. “Uma vez que o dinheiro cai na conta na mesma hora, isso permitirá a tomada de decisões mais assertivas seja para negociar com um fornecedor, pagar uma dívida ou investir no negócio”, explicou.

Custo operacional do PIX

A utilização do Pix fornece uma redução nos valores em comparação com as formas de pagamentos eletrônicos existentes, mas como será que essa economia pode alcançar o pequeno empreendedor?

“O primeiro ponto é o custo de transação menor do que outros instrumentos como boleto ou cartão, que dependendo do caso e da instituição financeira, pode ser gratuito. Como o Pix é um modelo com menos intermediários e a plataforma é provida pelo Banco Central, considerado um agente neutro, que não visa lucro”, explicou a assessora do Departamento de Competição e Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Mayara Yano.

pix
Foto: Agencia Brasil

Ela continuou: Outro ponto é o alto grau de competição entre as instituições financeiras credenciada para operar o Pix e isso acaba gerando ofertas interessantes para os empresários. Vale ressaltar que para as empresas, o Banco Central não vai regular a tarifação neste momento, mas temos observado que muitos agentes financeiros têm oferecido isenções totais ou por algum período”.

Sendo assim, a recomendação é que todos os “empresários pesquisem as melhores condições antes de escolher a instituição financeira que vai utilizar o Pix, analisando os custos das tarifas e os serviços agregados oferecidos”, aconselhou Mayara.

Facilidade do novo sistema de pagamentos

Vale salientar que o aplicativo Pix foi desenvolvido com a possibilidade de ser vinculado as plataformas de e-commerce para facilitar a gestão e pagamentos.

“Pensando em um exemplo concreto da Black Friday. Basicamente, o comércio online opera com boleto ou cartão de crédito. No caso do boleto, muitas vezes o cliente gera o documento, mas não paga depois, o que gera um bloqueio da venda do produto por um tempo para outros clientes”, exemplificou a assessora do Banco Central.

Mayara finalizou: “Então o Pix chega com uma integração muito fácil que possibilita a confirmação imediata do pagamento, gerando rapidez para despachar a mercadoria, conferindo possibilidade de aumento de vendas e maior satisfação do cliente, que recebe o produto mais rápido também”.

O que você achou deste artigo?