Vendas online na Black Friday cresceram 25% em comparação com 2019

Em um ano atípico devido a pandemia do novo coronavírus, as vendas online alcançaram uma marca recorde na Black Friday 2020. O lucro do e-commerce ultrapassou 4 bilhões de reais, levando em conta os dias 26 e 27. Um crescimento de 25% em comparação ao mesmo período no último ano, conforme levantamento feito pela Ebit/Nielsen.

No total, foram mais de seis milhões de solicitações realizadas, um aumento de 15%. A avaliação foi de que o aquecimento da Black Friday, as vendas realizadas antes da data oficial de última sexta-feira do mês de novembro, foi uma estratégia muito bem sucedida. Com as promoções alongadas, as vendas foram feitas no decorrer de todo o mês.

“A pandemia fez os consumidores terem um comportamento diferente. As compras ficaram diluídas e o comércio eletrônico soube aproveitar o momento e fisgá-los com descontos, oportunidades e atratividades”, comentou a líder de Ebit/Nielsen, Julia Ávila, em entrevista ao site da Pequenas Empresas e Grandes Negócios.

Entre os dias 19 e 27 de novembro, o lucro passou de 6 bilhões de reais, 30% acima das vendas do ano passado. Nesse espaço de tempo, incluindo o período de aquecimento, foram computados 10 milhões de pedidos, uma elevação de 20% na base anual. Somente na sexta-feira, 27, o faturamento registrado foi de R$ 3,1 bilhões, aumento de 24,8%.

Vendas online na Black Friday cresceram 25% em comparação com 2019
Foto: Visual Hunt

“O esquenta deste ano ganhou muita relevância. Isso mostra que um esquenta Black Friday mais forte é uma tendência para os próximos anos”, afirmou Julia.

Reclamações na Black Friday 2020

Vale salientar que a plataforma Reclame Aqui recebeu mais de nove mil queixas no decorrer da Black Friday, uma alta de apenas 4%. Conforme um estudo, 27% das denúncias foram de publicidade enganosa, acompanhada de dificuldade na conclusão da (10,12%) e divergência de valores (9%).

A lista das 10 companhias com mais reclamações, as empresas que fazem parte do chamado “Universo Americanas” se destacaram. O e-commerce terceirizado das Lojas Americana contou com a maior quantidade de queixas, com 471, enquanto sua loja online ficou em 4º (289).

O que você achou deste artigo?