Twitter volta a cogitar serviço de assinaturas pagas

O Twitter está supostamente de olho em um serviço de assinatura para reduzir a sua dependência da publicidade. Várias ideias estão sendo lançadas, incluindo uma que permitiria aos usuários pagar às pessoas que seguem por conteúdo exclusivo, de acordo com a Bloomberg.

Outras propostas geradoras de receita incluem cobrar por programas como o Tweetdeck ou recursos avançados como “desfazer o envio” ou opções de personalização de perfil, disse a agência de notícias, citando pessoas familiarizadas com o esforço.

“Aumentar a durabilidade da receita é o principal objetivo da empresa”, disse o líder de produtos de receita do Twitter, Bruce Falck, em um comunicado enviado por e-mail à imprensa. “Você nos verá continuar pesquisando e experimentando maneiras de diversificar ainda mais nossa receita além dos anúncios em 2021 e além” – incluindo assinaturas e “outras abordagens” que permitem que pessoas e empresas tenham acesso a “recursos exclusivos e oportunidades aprimoradas”.

Twitter cogita essa possibilidade desde 2017

A rede social cogita a ideia de assinaturas desde pelo menos 2017, quando os relatórios sugeriram uma versão mais avançada (ou seja, paga) do Tweetdeck destinada a profissionais de marketing, jornalistas e profissionais. Em troca de uma taxa mensal, os usuários teriam acesso a alertas de elite, tendências, análises avançadas e ferramentas de postagem.

Isso, é claro, nunca se concretizou, e a conversa sobre cobranças diminuiu até o ano passado, quando uma lista de empregos de engenheiro de software revelou que uma nova equipe do Twitter estava “construindo uma plataforma de assinatura”.

Uma segunda listagem no LinkedIn sugeriu que o grupo – codinome Gryphon – iria “reconstruir alguns dos serviços do Twitter para produzir uma plataforma de gerenciamento de assinaturas”.

Twitter volta a cogitar serviço de assinaturas pagas
Foto: Agencia Brasil

Não está claro exatamente o que está acontecendo nos laboratórios do Twitter, mas Bloomberg sugeriu possíveis recursos, incluindo feed sem anúncios, conteúdo exclusivo, vídeo de alta qualidade, verificação, análises melhores e outras vantagens como cores personalizadas, hashtags ou adesivos.

“Embora haja empolgação com esse potencial, é importante observar que ainda se está no início da exploração e não se deve esperar nenhuma receita significativa atribuível a essas oportunidades em 2021″, disse Falck. “Dada a enorme oportunidade de desenvolver nossos pontos fortes, nosso foco principal continua sendo o crescimento de nossos negócios de anúncios”, concluiu.

O que você achou deste artigo?