TikTok passa a ser investigado no França por acordo de proteção de dados

O aplicativo oriundo da China e popular em todo o planeta, o TikTok está em uma nova polêmica. Antes desse problema o software de vídeos curtos já está envolvido em uma questão entre os governos chinês e norte-americano.

A partir de agora, a rede social está no foco de um processo investigativo das autoridades franceses, segundo informações com órgão francês responsável pelo assunto (Cnil).

“A Cnil (Comissão Nacional de Informática e Liberdades) iniciou investigações do site tiktok.com e do aplicativo TikTok em maio de 2020”, disse um representante da Comissão Reguladora em entrevista a agência de notícias internacionais AFP.

De acordo com a CIL, a apuração se iniciou em função de uma solicitação de retirada de um vídeo da rede social. Antes de buscar pela ajuda do órgão da França, o denunciante tentou entrar em contato com a ByteDance, empresa chinesa criadora do aplicativo. No entanto, a companhia chinesa afirmou que o denunciante deveria procurar por seus direitos na justiça.

Depois disso, a agencia de regulamentação da França deu continuidade as suas averiguações e, desde então, “investiga em particular a relação com a implantação do TikTok na União Europeia”.

TikTok passa a ser investigado no França por acordo de proteção de dados
Foto: Visual Hunt

Propriedade da start-up chinesa ByteDance, a plataforma TikTok divulgou no começo de 2020 a colocação de um hub regional no continente europeu, situado na cidade de Dublin, na Irlanda. Essa operação fez com que o órgão regulador de informações da Irlanda ganhasse o título de principal autoridade para as novas investigações da Europa sobre o aplicativo de vídeo.

Além disso, a CNIL comunicou que avalia as condições de respeito as normas dos regulamentos europeus sobre proteção de dados (RGPD).

Problemas do TikTok ao redor do mundo

Vale salientar que o TikTok está acumulando polêmicas problemas ao redor do mundo, desde a sua explosão nos últimos meses. Recentemente, o aplicativo foi proibido de operar na Índia e pode ter de encarar uma nova medida restritiva nos Estados Unidos.

Donald Trump assinou uma determinação para limitar os negócios da plataforma e de outros aplicativos chineses a curto prazo. Sendo assim, o aplicativo possui cerca de um mês e meio para tentar reverter esse cenário no território norte-americano. E, agora, o aplicativo começa a enfrentar contestações não apenas na França, como em todo o continente europeu.

O que você achou deste artigo?