Plataforma de vídeos, Quibi encerra operação após seis meses de atividade

“A Quibi começará a encerrar suas operações e planeja trabalhar com seus consultores jurídicos e financeiros nos próximos meses para dissolver a empresa e identificar um comprador ou compradores adequados para seus ativos”, disse a empresa em um comunicado.

Em uma postagem de blog, o fundador da Quibi Jeffery Katzenberg e a CEO Meg Whitman acrescentaram: “Quibi não está tendo sucesso. Provavelmente por um de dois motivos: porque a ideia em si não era forte o suficiente para justificar um serviço de streaming autônomo ou devido ao nosso tempo”.

“Infelizmente, nunca saberemos, mas suspeitamos que seja uma combinação dos dois. A empresa tem caixa suficiente para continuar operando por um período significativo de tempo”, mas decidiu que era melhor devolver os fundos restantes aos investidores.

“Continuamos a acreditar que existe um mercado atraente para conteúdo premium de formato reduzido”, acrescentou Whitman em um comunicado à imprensa. “Nos próximos meses, trabalharemos muito para encontrar compradores para esses valiosos ativos que possam alavancá-los em todo o seu potencial.” 

Além disso, a empresa planeja notificar os assinantes existentes sobre a data final de acesso ao Quibi.

O que aconteceu com o Quibi?

Quibi, o serviço de streaming de vídeos curtos, está fechando após o lançamento há apenas seis meses, de acordo com o The Wall Street Journal.

O fundador da Quibi, Jeffery Katzenberg, anunciou o fechamento em uma teleconferência com investidores. O jornal aponta audiência abaixo do esperado e números de download decepcionantes como os principais problemas que contribuíram para a queda rápida de Quibi.

Plataforma de vídeos, Quibi encerra operação após seis meses de atividade
Foto: Divulgação

O desligamento relatado é impressionante, considerando que Quibi não existe há um ano. Katzenberg e Meg Whitman, CEO da Quibi e ex-chefe da Hewlett Packard, levantaram US$ 1,75 bilhão para financiar o serviço de streaming de vídeo, que começa com mensalidade de US$ 4,99 por mês.

Como a Netflix, a Quibi também produz seu próprio conteúdo de vídeo. Mas se concentra em episódios de cinco a 10 minutos projetados para serem consumidos em smartphones. Inicialmente exclusivo para dispositivos móveis iOS e Android, acesso posteriormente expandido para Chromecast e AirPlay.

Infelizmente, Quibi chegou provavelmente no pior momento. A pandemia da COVID-19 fez com que muitos americanos ficassem em casa, negando a necessidade de consumir conteúdo em trânsito por meio de smartphones. Em vez disso, os americanos tinham muito tempo para transmitir programas de TV e filmes em suas TVs e laptops em casa.

De acordo com a imprensa especializada, a plataforma tem tentado salvar seu negócio buscando uma venda, mas a empresa está conseguindo encontrar compradores. O serviço também falhou em cumprir suas metas de assinantes por uma “grande margem”.

O que você achou deste artigo?