Natal mais digital em 2020 exige estratégia para alavancar vendas nos pequenos empreendedores

Com as alterações no comportamento do consumidores em função da pandemia do novo coronavírus, a tendência é que o Natal seja muito mais conectado neste ano. Apesar das reabertura da maioria dos estabelecimentos e a volta do atendimento ao vivo, os empreendedores necessitam avaliar estratégias de vendas especificas.

De acordo com o Sebrae, os pequenos empreendedores necessitam se preparar para uma postura muito mais digital dos consumidores para fazer as suas compras neste fim de semana.

O estabelecimento do setor de games de Roger Glasser, em São Paulo, tem investido em uma estratégia para chamar a atenção do seu público-alvo com a realização de promoções que realmente compensam. O intuito foi estabelecer uma lista de intenções de compras conforme a vontade dos consumidores.

Entrevistado pelo Sebrae, Roger contou que a experiência está sendo bem sucedida. “Com essa lista fica mais fácil para negociarmos descontos maiores com nossos fornecedores, tendo em vista que oferecemos produtos que variam de R$ 300 a R$ 1 mil”, comentou.

Um pesquisa mundial “Back to Business, Holiday Edition”, produzida pela Visa em oito mercados ao redor do mundo, bem como no Brasil, indicou que mais da metade dos brasileiros ouvidos realizarão a maioria das aquisições para o Natal pela internet.

Pesquisa revela tendência dos consumidores para o Natal

O levantamento apontou, que mesmo com a crise, quase 90% das pessoas tem intenção de comprar alguma coisa no Natal, enquanto 58% tenciona apoiar o comércio local e por contar com mais da metade das aquisições nesses estilos de empreendimentos, seja de maneira presencial ou digital.

De acordo com gerente de relacionamento com o cliente do Sebrae, Enio Pinto, a confiança do setor comercial para as vendas do final do ano se iniciou com a Black Friday, realizada na última sexta-feira, 27 de novembro.

Natal mais digital em 2020 exige estratégia para alavancar vendas nos pequenos empreendedores
Foto: Agencia Brasil

Na sua visão, este ano pode ser visto como o ano do comercio virtual. “Os consumidores digitais vieram com tudo e mesmo quem tinha receio de comprar online, enxergou esse modelo como uma alternativa para continuar o consumo em meio à pandemia”, analisou.

No entanto, o especialista reforçou que os empreendedores precisam prestar atenção aos legados da pandemia no momento de fazer o planejamento para as vendas de Natal, principalmente os pequenos e micro empreendedores.

Já que o Natal é uma excelente chance de elevar os ganhos, bem como um momento de estabelecer relacionamento com os seus clientes. Por isso, o Sebrae aconselha a investir em um atendimento que deixe claro que se está a disposição para oferecer uma experiência de compra tranquila e diferenciada.

A inclusão de catálogos virtuais com produtos no WhatsApp e a possibilidade de um serviço de entrega são diferenciais que devem ser levados em consideração pelo empresário nesse período para alavancar os resultados.

O que você achou deste artigo?