Departamento Comercial Americano adia suspensão do TikTok no país

O Departamento de Comércio dos EUA não irá impor imediatamente proibição ao TikTok conforme desejo do atual presidente do país, Donald Trump, de acordo com informações do The Wall Street Journal.

Segundo a publicação, uma ordem foi expedida para ter efeito imediato. A mudança ocorre dois dias depois que a controladora ByteDance entrou com um recurso no Tribunal Federal pedindo mais tempo para fechar um acordo com a Oracle.

A proprietária do TikTok, a ByteDance, tem procurado vender o popular aplicativo de compartilhamentos de vídeos desde que o presidente Trump ameaçou um embargo nacional, citando preocupações sobre uma empresa com sede na China ter acesso a dados de usuários dos Estados Unidos.

Os advogados do governo afirmam que os dados do usuário podem cair nas mãos do Partido Comunista da China – uma afirmação que a TikTok nega, explicando que mantém os dados dos EUA no próprio país, com um backup situado em Cingapura.

Rede social acelera transações para manter negócios no país

Em um esforço para salvar a popular plataforma da suspensão local, a Oracle interveio para adquirir uma participação de 12,5 por cento na TikTok Global, com planos para executar a rede social no Oracle Cloud.

Departamento Comercial Americano adia suspensão do TikTok no país

A TikTok também está trabalhando em uma parceria comercial com o Walmart, que concordou provisoriamente em comprar 7,5 por cento da TikTok Global, com o CEO do Walmart Doug McMillon atuando como um de seus cinco membros do conselho.

A suspensão da execução do Departamento de Comércio, no entanto, apenas atrasa a diretiva de Trump, que puniria as empresas e indivíduos americanos encontrados fazendo negócios com a ByteDance. A empresa de tecnologia com sede em Pequim ainda está em negociações com o governo dos EUA.

Posicionamento do novo governo e da população sobre TikTok

Não está claro como o presidente eleito Joe Biden lidará com a situação assim que tomar posse em janeiro. Mas, como o Journal apontou, há uma preocupação bipartidária no Congresso sobre a potencial coleta de dados chinesa e vigilância nos Estados Unidos.

Os políticos não são os únicos preocupados com a privacidade: uma pesquisa recente da WhistleOut sugere que 53% dos participantes acreditam que o TikTok espiona os seus usuários e 37% acham que o aplicativo deveria ser banido.

Autor:

O que você achou deste artigo?